Pequenos hábitos que nos impedem de emagrecer

Você pode até fazer dieta, praticar exercícios, mas se continuar com alguns desses hábitos listados abaixo você não irá conseguir emagrecer.



1. Pular o café da manhã

O café da manhã é uma importante refeição do dia e não deve ser ignorada e nem deixada de lado. Se você pular essa refeição você estará mais faminto no almoço e a tendência é comer exageradamente.

2. Não beber água o suficiente

Beber bastante água ajuda a driblar a fome, pois mantém o estômago cheio. Além disso, melhora o trânsito intestinal, melhora a pele, deixa o organismo livre de toxinas e a água faz bem pra saúde em geral.

3. Comer tarde da noite

Ninguém sabe exatamente por que, mas os cientistas suspeitam que a absorção da energia contida nos alimentos seja influenciada pelo ritmo circadiano – o relógio biológico do corpo. “Mudar a hora de comer pode ajudar a conter a epidemia de obesidade entre os humanos”, recomenda o estudo.


4. Não dormir o suficiente

Dormir pouco afeta os níveis de hormônios responsáveis pela fome. Quando dormimos pouco os níveis de leptina abaixam (a leptina inibe a fome) enquanto os níveis de grelina aumentam (grelina induz a fome). 
E quando estamos cansados a tendência é comer alimentos ricos em carboidratos como doces e massas por exemplo.




5. Dieta da sopa

Quem quer emagrecer rapidamente muitas vezes acaba cortando de vez os alimentos sólidos. Mas segundo os especialistas este tipo de restrição pode acarretar uma série de problemas. "Se você comer só sopa, não está trabalhando a mastigação, que é o momento em que o corpo libera uma série de substâncias e enzimas importantes e manda a mensagem para o cérebro da saciedade", explica Elaine. Outro problema é a dificuldade de manter esse padrão de alimentação em longo prazo. "Uma dieta restritiva faz com que a pessoa volte fazer tudo errado e até pior", ressalta. Para quem gosta de tomar uma sopinha a noite, a especialista ressalta que é importante que a sopa tenha um pouco de consistência. Ela dá como dicas ingredientes como flocos de aveia, quinoa, castanha-do-pará, arroz integral, além de legumes e folhas.

6. Tomar shakes para substituir as refeições

Os famosos shakes são bem atraentes por prometerem a sensação de saciedade de forma rápida e pouco calórica, mas os especialistas não incentivam o hábito. "O shake é um produto processado, o que foge da ideia de uma alimentação natural. Tomar shake ainda pode levar a um período menor de saciedade e inclusive à deficiência de algum nutriente, como vitaminas e minerais", explica Livia. "O shake uma hora ou outra vai enjoar e não é um comportamento que faz parte da reeducação alimentar", reforça. 

6. Distrair-se enquanto come

Assistir ou mexer no celular enquanto come, pode fazer você perder a concentração na comida. É importante se concentrar no ato de comer e mastigar para que seu cérebro entenda que você está comendo e faça o seu organismo sentir-se saciado. 


7. Consumo excessivo de álcool

O álcool inibe a leptina, que é o hormônio responsável pela saciedade e ele inibe também a oxidação de gorduras. Com isso, o consumo exagerado de bebidas alcoólicas pode causar aumento de gordura corporal e obesidade.




8. Não mastigar bem

Comer rápido é uma característica do mundo moderno e, às vezes, para ganhar alguns minutos, muita gente mal sente o gosto da comida. "Não mastigar os alimentos leva a um processo de má digestão e ainda a um maior consumo de calorias, já que a sensação de saciedade leva de 15 a 20 minutos para acontecer", explica Livia. Ela ressalta também que o ideal é mastigar de 20 a 30 vezes o alimento ou até que ele fique sem grandes pedaços sólidos. "Descanse o talher no prato, se necessário, para ajudar neste processo, coma em pratos pequenos e com talheres pequenos. Procure demorar uns 20 minutos ou mais para fazer sua refeição", reforça.

9. Não comer verduras e legumes

Segundo Luis, o fato de não inserir legumes e verduras é prejudicial porque o corpo terá uma menor ingestão de fibras. "As fibras ajudam com a sensação de saciedade. Se a pessoa não ingere fibras, vai acabar comendo outras coisas que não deveria. Além disso, elas controlam o colesterol, a glicose no sangue, e funcionam como um fator protetor."

O ideal, segundo o especialista, é que o hábito seja incentivado desde a infância, mas, caso isso não seja possível, uma dica é tentar ir incluindo mais opções no prato gradativamente, até identificar quais são os legumes e verduras de preferência.

10. Não comer frutas

Desde crianças, ouvimos que as frutas são ricas em fibras e vitaminas. Só que no dia-a-dia nem sempre conseguimos incluí-las na alimentação. A nutricionista Paula alerta: "as frutas deixam o organismo forte e resistente. As fibras o deixam em equilíbrio, filtrando as toxinas e garantindo seu bom funcionamento".

11. Mastigar chiclete o dia todo

Mastigar, mastigar e mastigar, sem mandar nada para o estômago. Este é outro hábito que está sempre na mira dos especialistas. "Toda vez que a pessoa mastiga o chiclete, acaba ativando a produção de enzimas na boca, e a tendência é cada vez ter mais fome", ressalta Elaine. Para quem não abre mão do hábito, o indicado é optar pelas versões sem açúcar, porque, do contrário, "acabará aumentando o valor enérgico com um alimento que não tem valor nutricional nenhum", orienta a profissional.






Continue lendo:


Nenhum comentário:

Obrigada pela sua visita e deixe um comentário se você gostou dessa postagem!

Volte Sempre!

Tecnologia do Blogger.